Eu tenho estudado DOTS há algum tempo e pelo menos nesta fase do desenvolvimento é muito difícil encontrar alguma documentação atualizada e/ou organizada. A documentação da unity não é muito clara ou intuitiva para quem está começando a estudar a nova tecnologia.

Outro ponto (pelo menos no meu caso), é a dificuldade em definir um plano de estudos estruturado, saber por onde começar a estudar, uma vez que o DOTS é composto por diversos elementos.

Minha intenção com esta série não é ser um guia mágico ou tutoriais extremamente práticos ( apesar de ter em seu conteúdo alguns exemplos de uso ). A intenção aqui é criar uma referência de estudos pessoal e para quem se interessar pelo assunto. A maioria do conteúdo é baseada na documentação da própria Unity e a ordem dos tópicos é baseada na minha opinião pessoal da melhor linha a ser seguida para melhor compreensão.

DOTS está em desenvolvimento e muita coisa descrita aqui pode ficar ultrapassada muito rápido. Vou me esforçar para atualizar as postagens sempre que possível.
Este conteúdo é direcionado para quem já possui noções de programação e tem uma certa familiaridade com a Unity e C#.
Talvez alguns posts pareçam massantes e com um certo exagero de detalhes , mas eu não encontrei outra maneira de mostrar as coisas.

O que é DOTS?

DOTS é uma abreviação para Data-Oriented Technology Stack.
Trata-se de um novo “conceito” onde programamos com orientação a dados ao invés de objetos e é composto por três elementos principais :

  • Job System
  • Entity Component System (ECS)
  • Compilador Burst

Instintivamente não gostamos de mudanças e, acredito que esta é a principal dificuldade na adaptação do novo método. Isso é natural depois de anos programando orientado a objetos, mas rompida esta berreira as coisas realmente fazem muito sentido.

Por que usar DOTS?

DOTS aumenta substancialmente o desempenho de nosso código e resolve de maneira eficaz os problemas de codificação MultiThread. Além de otimizar a utilização da memória e gerar um código de saída de altíssimo desempenho.

Resumidamente, a força de se trabalhar orientado a dados é que “O hardware agradece”, pois ele sabe exatamente onde os dados estão e como eles trabalham, enquanto que orientado a objetos, você trabalha com a força do seu cérebro, pois é mais fácil de visualizar, programar e abstrair esses detalhes.
Com DOTS nós separamos dados e sistemas, isso evita a repetição de código aumentando sua reutilização e fazendo assim com que escrevamos menos.

Estrutura de tópicos:

Os tópicos que não tiverem seus links funcionando, ainda não foram escritos, mas serão em breve.

artplayer

Author artplayer

More posts by artplayer

Deixe uma resposta

Receber notícias

Digite seu endereço de e-mail para receber notificações de novas publicações por e-mail.
%d blogueiros gostam disto: